SolSoldagem por resistência, por eletroescória, oxicombustível, oxiacetileno, aluminotermia, a arco manual, elétrica, MIG, MAG, plasma, por fricção e a laser são alguns tipos de soldagem industrial, uma modalidade profissional considerada fundamental para o funcionamento de uma indústria e que, nos últimos anos, é cada vez mais requisitada pelas empresas, diante do crescimento econômico.

 
O soldador pode ser um profissional cuja especialização varia bastante. Isso porque as especificidades que envolvem a atividade mudam de área para área, tendo possibilidade de exercer a mais simples solda até outras ultraespecializadas. No Brasil, assim como no Ceará, a procura por profissionais soldadores para a indústria é grande. A tendência é que nos próximos três anos essa demanda aumente ainda mais. Até porque devem se consolidar empreendimentos de grande porte.
 
O que faz o soldador?
 
Trabalha, principalmente, em atividades ligadas às indústrias de transformação, construção civil e de fabricação de estruturas metálicas. Essas atividades correspondem, basicamente, à solda e ao corte de metais e compósitos utilizando processos como eletrodo revestido, TIG, MIG, MAG, oxigás, arco submerso, brasagem e plasma. Para tanto, preparam a soldagem de peças, consultando desenhos e especificações, selecionando ferramentas, materiais e consumíveis, assim como protegendo e isolando o local de trabalho. Para cortar peças, operam maçaricos, enquanto que, para soldá-las, operam equipamentos por brasagem, ligando partes e preenchendo buracos e recortes de artigos em metal ou compósitos. O soldador realiza inspeções visuais em peças, identificando posições de soldagem, aplicando removedores para retirar óleos, preaquecendo com maçaricos, escovando e goivando peças.
 
Veja as modalidades
 
Soldador de manutenção (60 h)
Soldador MIG – níveis 1 (60 h) e 2 (60 h)
Soldador solda elétrica e oxiacetileno (160 h)
Soldagem elétrica (130 h)
Soldagem elétrica eletrodo revestido (90 h) – níveis 1 (90 h) e 2 (70 h)
Soldagem elétrica eletrodo revestido 5 G e 6 G em tubulação (30 h)
Soldagem MIG – níveis 1 (60 h) e 2 (60 h)
Soldagem em processo TIG (60 h)
Soldagem oxiacetilênico (80 h)
 

dador

 

História da solda MIG/MAG (GMAW - Gas metal arc welding)

 

 

 

Os princípios da soldagem com arco protegido por gás, começou a ser entendido nos idos de 1800, depois que Humphry Davy's descobriu o arco elétrico. Inicialmente usava-se um eletrodo de carbono, mas já no final de século 19, o eletrodo de metal foi inventado por  N.G. Slavianoff e C. L. Coffin.

Em 1920, um antecessor dos equipamentos GMAW (Gas metal arc welding) foi inventado por P. O. Nobel, na época trabalhando na General Electric. Ele usou um eletrodo com corrente direta e alterava a voltagem do arco para regular a penetração da solda, sem utilizar nenhum gás inerte para proteção da solda.

Somente em 1948, o processo GMAW foi finalmente desenvolvido pelo Battelle Memorial Institute. Eles usavam um eletrodo de diâmetro menor, uma fonte de energia com voltagem constante, que tinha sido desenvolvida por H. E. Kennedy. Esta solução oferecia uma alta taxa de deposição de material, mas o alto custo do gás inerte na época limitava sua aplicação, não sendo viável para uso industrial.

Já nos idos de 1953, com o desenvolvimento do gás CO2 (dióxido de carbono) como gás de proteção, o processo GMAW se tornou viável para soldagem em escala industrial. Entre 1958 e 1959, algumas variações do processo GMAW foram lançadas, e com isto implementando uma grande versatilidade na utilização deste tipo de soldagem, principalmente onde se utilizava chapas finas.

Mais recentemente, a utilização de corrente pulsada foi testada junto com o processo GMAW, chamando este método de "pulsed spray-arc". Cada vez mais se utilizava a soldagem MIG/MAG nos processos de soldagem industriais, principalmente pelo avanço nas fontes de energia utilizadas, nas altas taxas de deposição obtidas, facilidade de treinamento do soldador, versatilidade de posições para soldar, sem falar no seu baixíssimo custo em comparação às outras alternativas.

Não podemos deixar de chamar a atenção ao fato de que o processo GMAW é atualmente o mais popular método de soldagem utilizado nas industrias, desde a automobilística até a naval e espacial. Linhas completamente automatizadas e robotizadas são uma unanimidade em industrias de todo o mundo, utilizando como base a soldagem MIG/MAG

.

Temos observado importantes avanços no uso da eletrônica nas máquinas de solda atuais. Com isso, tem se obtido maior precisão nas regulagens da soldagem, associado a um aumento de produtividade.

Como puderam conferir, o processo de soldagem MIG/MAG, veio para ficar!

 

Visite-nos no Facebook https://www.facebook.com/pages/Os-Executantes/313188495510000?ref=hl

Crie um site gratuitoWebnode