A sabedoria e a recompensa

 
 
A sabedoria e a recompensa
 
Era uma vez… Um jornal líder de mercado de uma grande cidade.
 
Por volta das dezessete horas, o jornal do dia seguinte estava sendo impresso a todo vapor, quando a máquina principal parou.
 
Imediatamente, foi chamada a equipe de manutenção. Mexeram, mexeram, e nada de conseguirem fazer a máquina funcionar. Já eram quase vinte horas, e o diretor, irritado, mandou chamar um engenheiro para resolver o problema, já que aqueles técnicos estavam
 
trabalhando há três horas sem sucesso. O engenheiro chegou, mexeu, mexeu e remexeu, e nada da máquina funcionar. Desesperado, o diretor mandou chamar o engenheiro construtor da máquina, pois já era quase meia-noite e ela continuava parada. O mestre chegou, observou, observou, andou em volta da máquina, fez várias perguntas para os técnicos e para o engenheiro acerca do que haviam feito para solucionar o problema e, após alguns minutos, perguntou:
 
- Por favor, vocês têm aí uma chave de fenda?
- Aqui está, falou um dos técnicos, já entregando a ferramenta ao mestre.
 
O mestre, de forma profissional e sábia, foi até um dos parafusos da caixa central de comandos, deu nada mais que duas voltas apertando-o. Foi tiro e queda, a máquina entrou em funcionamento com sucesso como num passe de mágica. Foi uma alegria geral. O diretor, então, chamou o mestre para a sua sala a fim de efetuar o pagamento pelo serviço prestado:
 
- Quanto é o seu serviço?
 
- Dez mil reais, disse o mestre prontamente.
 
- O quê? Deeeeeez miiiilllll reais, para apertar um parafusiiiiinho?
 
Isto é um absurdo!… Você ficou looouco?
 
- Não, doutor, para apertar o parafuso eu cobrei um real. Os outros nove mil novecentos e noventa e nove reais são pelos trinta anos de estudos e experiências que eu gastei para saber qual parafuso apertar.

 

Visite-nos no Facebook https://www.facebook.com/pages/Os-Executantes/313188495510000?ref=hl

Crie um site gratuitoWebnode