Corrupção!Corrupção!

 

Quem diria até os indios pintavam as penas de aves para aumentar seu valor, quem diria a corrupção brasileira é das antigas, é lógico que nesses casos os indigenas estavam se protegendo da ganancia dos brancos.Vítimas de atos hostis, como a dominação e a escravidão, eles enfrentaram situações desvantajosas, e nada mais legítimo que usassem de alguma engenhosidade para não perder a sua identidade diante dos europeus. O primeiro golpe genuinamente brasileiro foi a -"tapiragem"- é que os índios aplicaram nos portuga suas primeiras arteirices. Diversos grupos indígenas da América do Sul, como os tupis do nosso litoral, praticavam a tapiragem, uma técnica para alterar o colorido original da plumagem das aves de estimação, deixando-as com o aspecto justamente de que foram "pintadas à mão". Assim, trocaram com os europeus diversas mercadorias que lhes interessavam por aves artificialmente pintadas. "Quando os pássaros mudavam suas penas na Europa e revelavam sua cor natural, a falcatrua era desmascarada. Já era a venda de gato por lebre naquela época".                   

Pobres e ricos

 

O jesuíta português Padre Antônio Vieira (1608-1697), que se destacou como missionário no Brasil, principalmente por defender os índios contra a exploração e escravidão afirmou em um dos seus sermões: "Eles chegam pobres nas Índias ricas e voltam ricos das Índias pobres".

 

Consultado certa vez pela Coroa Portuguesa sobre se o Maranhão-Pará deveria ser dividido em dois governos, o jesuíta foi cáustico: "Não. Um ladrão num cargo público é mal menor do que dois".

 

Artes diversas

 

Em 1652, uma obra publicada anonimamente e nomeada Arte de Furtar foi atribuída durante muitos anos ao Padre Antônio Vieira. A obra não ensina a roubar, mas descreve as numerosas formas de roubo e de ladrões daquela época. Manuel da Costa escreve sobre a cobiça, a ganância desenfreada e insaciável que, segundo ele, "começava nos indivíduos que nunca se cansavam de perseguir riquezas, mercês, benesses e títulos, e acabava nas potências conquistadoras que, na ânsia de ouro e prata, por todo o mundo oprimem, saqueiam e massacram populações indefesas".

 

De acordo com registros históricos, o Brasil está sendo construído por corrupção, levantes, golpes e manifestações violentas nas ruas, mas sem a implantação de qualquer tipo de planejamento ou estrutura em longo prazo. Na publicação Geo Mundo, com o título “500 anos de Corrupção” em texto de Mouzar Benedito,  garante que na carta que o escrevente da esquadra de Pedro Álvares Cabral, Pedro Vaz de Caminha enviou a Portugal relatando a descoberta do Brasil, também teria pedido ao Rei a volta de seu genro, degredado na África por ter roubado uma igreja e espancado um padre.

“uma corrente de historiadores acredita que a corrupção no Brasil está associada ao emprego de degredados na nossa colonização inicial. No século 16, pessoas que cometeram crimes em Portugal eram condenadas a cumprir suas penas aqui, forma utilizada para povoar com portugueses o Brasil e outras colônias lusitanas. De fato, só com Tomé de Souza, primeiro governador-geral do Brasil, vieram 400 degredados.

 

No brilhante e esclarecedor texto de Mouzar Benedito, “500 anos de corrupção” o autor garante que o “ataque aos cofres públicos não é um fenômeno exclusivamente brasileiro, mas nos acompanha desde o dia de nosso descobrimento” e lança uma embaraçosa pergunta que teria sido feita pelos militares decepcionados após o golpe de 1964 no Brasil, para supostamente espantar o “fantasma do comunismo” e com o propósito de “acabar com a corrupção”, quando começaram a pipocar casos de corrupção envolvendo gente da cúpula do governo nos anos 70 e 80: “Foi para isso que fizemos a Revolução?”

 

 

Nos dias atuais é verdade que o ex-presidente Lula melhorou as condições sociais dos mais carentes com seus diversos programas sociais de transferência de renda, mas é verdade também que tanto na ditadura como na democracia, a corrupção pública continua a mesma, a falta de estrutura continua precária, os recursos públicos para investimentos continuam sendo feitos sem projetos por menores que sejam e a excessiva quantidade de leis atrapalha mais do que ajuda ao desenvolvimento do Brasil, um dos países com mais leis no mundo e 59º colocado entre os mais corruptos, que começa com os menos corruptos. Estão no topo da lista a Finlândia, Haiti e Bangladesh, pela ordem, entre os países mais corruptos do mundo.

uma frase do analista Mouzar Benedito: “de novo o velho desencanto, o triste espetáculo de ocupantes de altos cargos públicos saindo de suas funções bem mais ricos do que quando entraram” e se mostrando surpreso com a volta do ex-prefeito de Porto Alegre, Olívio Dutra, ao seu antigo cargo de bancário ao terminar seu mandato eletivo em 1987 e mais surpreso, também, pelo fato de uma grande parte do eleitorado aceitar políticos que “roubam, mas fazem”, onde a sonegação de impostos por empresas é quase uma obrigação e onde até a Igreja chegou a contrabandear usando santos ocos cheios de pedras preciosas” na época do Império. ! Deus, nos salvem!

 

Visite-nos no Facebook https://www.facebook.com/pages/Os-Executantes/313188495510000?ref=hl

Crie um site grátisWebnode